A Senadora do PT Gleisi Hoffmann, tem pedido de condenação pela procuradora Geral da República Raquel Dodge


É preciso deixar claro, é preciso mostrar para a sociedade que o crime não compensa e, tem consequências terríveis para quem o pratica.

A procuradora-geral da República Raquel Dodge, pediu a condenação da Senadora petista Gleisi Hoffmann no âmbito da lava jato, para PGR, Gleisi cometeu crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.Dodge quer ainda que Gleisi devolva quatro milhões de reais aos cofres públicos e perca o mandato. A procuradora-geral afirma ter fixado para o pagamento por danos morais e materiais, pelos crimes do valor de 4x a propina que teria sido solicitada, segundo Dodge o prejuízo provocado pela corrupção é difícil de ser quantificado. A manifestação foi apresentada ao STF nas alegações finais da procuradoria e entregues no processo contra Gleisi e do marido Paulo Bernardo, a senadora que também é presidente do PT, lembrando que ela é a primeira presidente RÉ do PT, colocada claro por Lula, mesmo sendo ela ré.  Gleisi, tem afirmado que não há provas contra ela, não é nenhuma novidade petista dizer que não não existem provas.
Segundo o comentarista da Jovem Pam, Augusto Nunes…
“A Gleisi, sempre falou em nome de todas as mulheres e, chegou lá uma mulher na Procuradoria Geral da República e, está pedindo a condenação dela, não é irônico? Irônico e ótimo, porque acabou aquela conversa fiada de misoginia, perseguição a mulheres, preconceito e coisa do Janot, agora é a Raquel Dodge, uma mulher usando a lei para fazer justiça; até o momento absolutamente insuspeita, não há porque fazer qualquer reparo ao trabalho dela, que fazendo em busca de justiça enquadrou devidamente a Senadora Gleisi Hoffmann, presidente do PTconhecida no departamento de propina da Odebrecht pelos codinomes COXA e AMANTE. Então chegou a vez dela, que continua exalando arrogância no senado, cobrando todo mundo, dizendo que o novo governo é que provocou desemprego, que o Lula e a Dilma governaram para os pobres.Governaram em favor dos ladrões do partido e, entre eles figura o casal Paulo Bernardo e Gleisi, ou Gleisi e Paulo Bernardo por ordem de importância.
E ao pedir a condenação da Gleisi, a Raquel Dodge, escreveu:
Também que não se nega que os denunciados tem atualmente projeção política e, em razão disso ludibriaram os cidadãos brasileiros e, sobretudo os seus eleitores, que os escolheram para o exercício dos mandatos, não há dúvidas de que o delito perpetrado pelos imputados, causou abalo moral a coletividade, em nome da qual o PT sempre fala,  interesse esse que não pode ficar sem reparação.
Chamada de narizinho pelos colegas no senado, vai demorar um pouco, mas não é o único inquérito e nem o único processo contra Gleisi Hoffmann e, o marido dela o ex-ministro Paulo Bernardo, essa já entrou no partido dos trabalhadores com problemas, ela não se deslumbrou e foi corrompida na presidência do PT, não! Ela já entrou na presidência do PT corrompida e denunciada.  A situação é a seguinte, não adianta, todos esses inquéritos terão um fim, serão políticos condenados a mais de cem anos de prisão
Os juízes estão mesmo empenhados em todos os lados, não é só a lava jato, mas onde acontecer um processo ou inquérito, ELE VAI EM FRENTE. O Renan Calheiros, foi condenado em Brasília, não é na área penal e sim na área cível, a devolver R$ 240.000, é o caso da ex-mulher Mônica Veloso, que corria em segredo de Justiça, a condenação é meio cível e meio penal, mas não determina a prisão, mas a perda da função pública. Ele pode apelar, e se ele não apelar, já perdi imediatamente o mandato, ou seja o cerco está se fechando. 
Um dia tão histórico, tão importante, que o Antagonista noticiou em primeira mão, o pedido da Raquel Dodge e está soltando várias notas com os trechos do pedido.
“Apena da Gleisi, deve ser maior do que a média, por ela ser política”.

Então nas palavras da Raquel Dodge, em perspectiva mais ampla, que não se pode perder de vista, não faria nenhum sentido que um político experiente proeminente manipulasse grosseiramente o sistema político-eleitoral de um dos maiores Estados da Federação e, ainda assim, receber pena inferior. Sem que a metade do espectro da apelação a citação de pena próxima do mínimo legal, tenderia nessa ordem de ideias a própria negativa de vigência do preceito secundário do tipo penal e, nas alegações finais da Raquel Dodge, Deixa claro que é preciso mostrar para a sociedade que o crime não compensa.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.