Guadalupe e a cultura do "Pão e Circo",

“Quanto mais instruído o povo, tanto mais difícil de o governar…” Provérbio Taoista.

A política do Pão e circo (panem et circenses, no original em Latim) como ficou conhecida, era o modo com o qual os líderes romanos lidavam com a população em geral, para mantê-la fiel à ordem estabelecida e conquistar o seu apoio. Esta frase tem origem na Sátira X do humorista e poeta romano Juvenal (vivo por volta do ano 100 d.C.) e no seu contexto original, criticava a falta de informação do povo romano, que não tinha qualquer interesse em assuntos políticos, e só se preocupava com o alimento e o divertimento.

Assim, nos tempos de crise, em especial no tempo do Império, as autoridades acalmavam o povo com a a construção de enormes arenas, nas quais realizavam-se sangrentos espetáculos envolvendo gladiadores, animais ferozes, corridas de bigas, quadrigas, acrobacias, bandas, espetáculos com palhaços, artistas de teatro e corridas de cavalo. Outro costume dos imperadores era a distribuição de cereais mensalmente no Pórtico de Minucius. Basicamente, estes “presentes” ao povo romano garantia que a plebe não morresse de fome e tampouco de aborrecimento. A vantagem de tal prática era que, ao mesmo tempo em que a população ficava contente e apaziguada, a popularidade do imperador entre os mais humildes ficava consolidada.

Essa tal política “pão e circo” muito utilizada na Roma antiga, continua até hoje. Em várias situações em Guadalupe, esse tipo de manipulação se apresenta das mais diversas formas: Grandes Festas, Programas de entretenimentos, e tantos outros tipos de “atrações” para a população são visíveis a olhares atentos/esclarecidos.

Enquanto isso, as coisas básicas como saúde, educação, administrar bem os recursos Publico continuam na mesma situação, foi- se, muito dinheiro com os cantores e as atrações, ainda falta remédios no Hospital Municipal, as ruas ainda estão escuras, as crianças do rodiador ainda estão sendo prejudicada pela falta de pagamento no transporte delas até a escola, e o escândalo de corrupção ainda está por resolver.

Que beneficio, solido estas festas trouxeram para a estrutura da cidade? logico que nenhum.

“O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio depende das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe que da sua ignorância política nasce à prostituta, o menor abandonado e o pior de todos os bandidos que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo. ” (Bertolt Brecht)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.