Lixo se acumula em frente à escola em Guadalupe, conheçam as doenças causadas pelo acumulo de lixo

A falta de coleta de lixo nas escolas na cidade de Guadalupe no Piauí, tem se tornado um grande problema de saúde publica devido os constantes riscos de bactérias, vírus e a fedentina.

É necessário que a vigilância sanitária junto ao órgão competente da Prefeitura tome as devidas providências o mais rápido possível, para o bom andamento do processo de ensino e aprendizagem nas nossas escolas.

Doenças relacionadas ao lixo.
Entre as doenças relacionadas ao lixo doméstico, destacamos: cisticercose, cólera, disenteria, febre tifoide, filariose, giardíase, leishmaniose, leptospirose, peste bubônica, salmonelose, toxoplasmose, tracoma, triquinose e mais outras nove.

O lixo na transmissão de doenças
Um conceito internacionalmente reconhecido na proliferação de vetores é o dos três A’s, o qual diz que todo local que possa prover alimento, água e abrigo é ideal para os animais que possam transmitir doenças se multipliquem. E o lixo descartado de maneira inadequada cumpre esta função muito bem.

Entre os animais que podem se proliferar no lixo, os que mais causam problemas à saúde das pessoas são ratos, baratas e mosquitos.

Sobre os ratos, o risco é a transmissão da leptospirose, esta é uma doença endêmica transmitida por uma bactéria encontrada na água contaminada ou na urina dos roedores.


Já com as baratas, o problema é por onde elas passam, estes animais podem ter contato com resíduos orgânicos como restos de papéis higiênicos, ou outros focos de bactérias e, ao entrarem nas casas, levam junto o risco de doenças.

“Em suas patas, as baratas podem levar muitas doenças que adquiriram no lixo. Em casa, estes animais podem transmitir desde diarreia, dores, febres e até doenças mais sérias como a hepatite, tanto às pessoas quanto aos animais de estimação”.

MOSQUITOS – Os mosquitos são um caso à parte que preocupam ainda mais a saúde da população. Especialmente nesta época do ano eles encontram no lixo o ambiente perfeito para colocarem seus ovos e multiplicarem os riscos de doenças como, por exemplo, a dengue.

“Uma tampinha de garrafa que foi descartada de maneira irregular pode acumular água e tornar-se foco do Aedes aegypti. Além disso, os mosquitos podem transmitir outras doenças ao entrar em contato, por exemplo, com um alimento que esteja descoberto, em cima de uma mesa e que as pessoas vão consumir sem saber dos riscos que estão correndo”, salientou.

Os especialistas destacam que o controle do lixo seja feito  pelos órgãos públicos, já que o descarte de resíduos é algo dinâmico e constante. Por isso, a Secretaria de Saúde reforça a importância que a população tenha uma consciência ambiental.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.