GAECO afirma que alvo de operação em Bertolínia descumpre ordem judicial


Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores
O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) informou ao desembargador Pedro de Alcântara Macêdo, da 1ª Câmara Especializada Criminal do Tribunal de Justiça do Piauí, que um dos alvos da Operação Bacuri estaria descumprindo medida cautelar. A operação foi deflagrada para colher mais provas sobre a existência de uma suposta quadrilha no município de Bertolínia, acusada de desviar milhões em recursos públicos.

Na peça endereçada ao membro do Tribunal de Justiça, a Coordenadora do GAECO, promotora Débora Geane Aguiar Aragão, e os promotores de Justiça Lenara Porto, Mário Normando e José Luz sustentam que o empresário José Jeconias Soares Araújo estaria participando de processo licitatório em afronta a decisão judicial.

“Assevera salientar que o denunciado José Jeconias Soares Araújo está descumprindo decisão judicial ao participar de procedimento licitatório Pregão Presencial 001/2020 representando a empresa Posto San Matheus- EIRELI, no município de Bertolínia-PI”, afirmam os promotores.

“Desta feita, o Ministério Público do Estado do Piauí, por intermédio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO, requer que o denunciado José Jeconias Soares Araújo seja notificado para justificar o possível descumprimento da medida. Após as justificativas apresentadas, requer que seja dado vistas ao MP”, pedem.

A Operação Bacuri foi deflagrada no início de dezembro de 2019, tendo como alvos o prefeito de Bertolínia, hoje afastado do cargo, Luciano Fonseca, agentes políticos outros e empresários, a exemplo de José Jeconias.

Luciano Fonseca pleiteia junto à Justiça Estadual seu retorno para o posto de líder do Executivo municipal.

Já informações em juízo dão conta de que o gestor afastado vem com frequência em Teresina resolver problemas "pessoais".

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.