PLANTÃO POLICIAL

[Policial][bleft]

VARIADAS

[Categorias][bsummary]

CIDADES

[Cidades][twocolumns]

Depre prende quadrilha acusada de tráfico de drogas sintéticas


A Polícia Civil do Piauí, através do Departamento de Prevenção e Repressão a Entorpecentes – DEPRE, com o apoio da Secretaria de Justiça - SEJUS, deflagrou a “Operação Conexão Artificial” na manhã desta quinta-feira (22) e cumpriu oito mandados de prisão contra o tráfico de drogas sintéticas e semissintéticas em Teresina e no Litoral do Piauí.

De acordo com o coordenador da DEPRE, delegado Luciano Alcântara, os suspeitos tinham envolvimento direto com a produção e comercialização de drogas como Ecstasy, MD (metanfetamina), Haxixe, Crumble e Skunk. Alguns presos já foram alvos de operação da Depre nos últimos meses.

Delegado Luciano Ancântara da DEPRE

“Essas pessoas estão associadas para o crime de tráfico de drogas sintéticas e semissintéticas, que são produzidas de forma artificial. Após doze meses de investigação, fazendo prisões de várias pessoas relacionadas a comercialização de drogas sintéticas na capital, foi feito um trabalho de investigação aprofundado para se chegar a um grupo que atuava com venda desse tipo de droga em Teresina. Até o final da manhã já devemos ter o resultado final da operação, mas até o momento já é bem exitosa, tendo em vista que os principais alvos já foram presos", disse o delegado.

Filho de juiz preso semana passada foi alvo da operação

Entre os presos está o filho de um juiz identificado como Ivan Freire, de 24 anos, que foi alvo de operação no último dia 9 de abril em Piripiri. Ele foi encontrado com entorpecentes de alto padrão no município do Norte do Piauí.

“Nós temos pessoas que foram presas anteriormente, como um rapaz em Piripiri e em Pedro II, que era um dos maiores cultivadores do Piauí de Cannabis ativa. Esse cultivo deveria ser utilizado para fins terapêuticos, tendo em vista que ele tinha autorização da Justiça Federal, mas na verdade ele extrapolou esses fins e estava comercializando entorpecentes como o Haxixe, o Skunk (super maconha) e o Crumble”, relatou.

Francesa também foi presa

Uma mulher de origem francesa, de 22 anos, que foi presa no dia 6 de abril com drogas sintéticas em um condomínio na zona leste de Teresina, também foi alvo da operação desta quinta. “Tivemos uma mulher presa com MD (metanfetamina). Ela é a francesa, e estaria comercializando Skunk e MD”, afirmou o coordenador da Depre.

Conexão Artificial

Segundo a Polícia Civil, a operação foi denominada de Conexão Artificial porque durante as investigações, foi verificado entre os investigados a associação/conexão para o tráfico de drogas modificadas artificialmente, ou seja, sintéticas.

Nenhum comentário: