“Davi Emanoel, eu te amo!”, disse; Gisele Vitória ao filho antes de ser executada


A família de Gisele Vitória da Silva Sampaio, executada pelo Tribunal do Crime, acredita que o corpo encontrado no último sábado (22) às margens do Rio Poti, no bairro Mocambinho, seja da jovem. Gisele tinha 17 anos e era mais conhecida como Sereia 14. A jovem foi executada pelo Tribunal do Crime no mês de março e seu o corpo desapareceu. Informação do GP1

Em entrevista à imprensa nesta segunda-feira (24), a mãe biológica de Gisele, Samara, disse ter certeza de que o corpo é de sua filha. “As roupas dela, brinco, colar, óculos e a chinela. Eu não tenho dúvidas de que é ela. Muito triste, inclusive tem o irmão dela que ele não aguentou de ver isso tudo, ele ficou muito abalado”, afirmou.

Foto: Reprodução/WhatsApp
Gisele Vitória da Silva Sampaio

Ameaças

Samara contou ainda que a filha estava sendo ameaçada e relatou que a jovem tentou vender um celular dias antes de ser executada, mas não conseguiu levantar o valor que precisava. “No dia que a gente foi ao Centro, ela falou que queria vender o celular, mas não conseguiu, por causa do valor. Ela falou que queria o valor de mil reais, mas o pessoal só queria dar 700, 600 ou 500. Aí eu disse para gente voltar para casa e ela falou que não voltava porque precisava vender o telefone, porque estava sendo ameaçada, mas ela não quis dizer o que era e falou que não iria envolver ninguém da família”, contou.

A mãe acredita que a filha tinha alguma dívida com integrantes do crime organizado. “Deveria ser alguma dívida. No dia, eu falei de novo para voltarmos para casa, mas ela falou: “não é a senhora que vai morrer não. Ela nunca tinha falado assim”, continuou.

Mensagem para o filho


A mãe de Gisele Vitória afirmou ainda que poucas horas antes de ser executada, a jovem enviou uma mensagem de WahtsApp dizendo que amava o filho Davi, de apenas dois anos. “Davi Emanoel, eu te amo!”, escreveu.

Mãe de criação

Embora sua mãe fosse viva, Gisele passou a morar com a avó, dona Fátima, aos 14 anos. A idosa contou emocionada à reportagem que devido ao longo tempo sem encontrar o corpo de Gisele, a família já imaginava que somente os restos mortais seriam localizados.

Foto: Brunno Suênio/GP1
Dona Fátima, avó de Gisele Vitória

“Demorou muito para encontrarem ela, então a gente já esperava que fossem encontrados só os restos mortais mesmo. É muito triste, porque eu criei ela desde pequena e ela sempre teve tudo, mas começou a se envolver, com essa idade de 13 e 14 anos, começou as amizades erradas”, desabafou dona Gisele.

Entenda o caso

O corpo de uma mulher foi encontrado enterrado em uma cova nas margens do Rio Poti, na tarde deste sábado (22), no bairro Mocambinho, zona norte de Teresina. A suspeita é que o corpo seja da adolescente Gisele Vitória da Silva Sampaio, 17 anos, mais conhecida como “Sereia 14”, que foi executada pelo Tribunal do Crime no dia 8 de março deste ano.

Logo após o duplo homicídio de duas jovens registrado na cidade de Timon-MA, em 21 de março de 2021, a família de Gisele Vitória passou a temer pela vida da jovem que estava desaparecida desde o dia 08 daquele mesmo mês.

Gisele Vitória dentro de cova antes de ser morta

Como uma das jovens mortas era amiga de Gisele, os familiares de Sereia 14 tiveram certeza que ela também teria sido executada, pois começaram a surgir fotografias dela já morta sendo compartilhadas nas redes sociais.

Daí então começou-se então uma busca incessante pelo corpo de Gisele Vitória da Silva Sampaio. Com o encontro do cadáver desse sábado (22), a Polícia Civil busca agora identificar se trata do corpo da jovem.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.