Tribunal do Júri: GAEJ/MPPI obtém a condenação de autor de feminicídio em Guadalupe


O Grupo de Apoio aos Promotores de Justiça com Atuação no Tribunal do Júri (GAEJ), representado pelo promotor de Justiça João Malato Neto, obteve a condenação do réu Rocildo Pereira Araújo pelo crime de feminicídio, a uma pena de 26 anos e 08 meses de reclusão, a ser cumprida em regime fechado na Penitenciária de Floriano. O julgamento foi realizado na Comarca de Guadalupe ontem, 29 de junho, em sessão presidida pelo juiz Marcus Antônio Sousa e Silva. Informação do MPPI


Rocildo Pereira Araújo foi levado a julgamento pela prática do crime de homicídio qualificado pelo motivo fútil, utilizando-se do recurso que impossibilitou a defesa da vítima e feminicídio (artigo 121, §2º, II, IV e VI, todos do Código Penal), com a causa de aumento de pena da prática de crime durante a gestação (artigo 121, §7º, I, do Código Penal). No dia 24 de janeiro de 2018 nas dependências de uma residência situada no bairro Cruzeta, município de Guadalupe, o acusado assassinou Natália Maria Soares da Costa, que na época estava grávida de seis meses, com seis golpes de faca.


Consta dos autos, que na noite do crime, a vítima deslocou-se até a residência do réu, quando então, após uma discussão, foi surpreendida ao ser abordada pelo autor do crime e, em seguida, recebeu seis violentas facadas, sem chances de se defender, causando-lhe as lesões descritas no laudo de exame cadavérico, que determinaram a morte da vítima. Na sequência, o réu empreendeu fugiu do local, posteriormente, o réu foi para a cidade de São João dos Patos/MA.




“Este crime à época dos fatos causou grande repercussão na sociedade de Guadalupe, fazendo com que a população local clamasse por justiça em virtude da violência e da covardia de mais um crime de feminicídio cometido, contra uma vítima no seu sexto mês de gestação”, afirmou o promotor João Malato.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.